Altar de são Cipriano ©

Magias, encantamentos, magia branca, magia negra, ritos, conjuros, feitiçaria secular, conjurações, esconjurações, intercedências, invocações, rituais. Santeria, culto religioso, místico e espiritual aos santos.

 

Mestre Jorge; Mestre Daniel; Mestre Tiago; Mestre Paulo

 

 

Altar de são Cipriano e santa Maria Madalena - O caminho dos santos, Culto religioso aos santos; estatutos, fundação e constituição segundo «Manifesto Doutrinário», constante de registo em Oficio5244-MC ; averb. Reg. Nº 5847/2009 © .

 

atendimentoonline2

Veja aqui:

Trabalhos de Magia segundo saberes ocultos de s.Cipriano

Consulta gratuita:

e-mail: altar.cipriano@gmail.com

Tl: 925 709 899

altar_sao_cipriano_magia_negra_magia_branca_santeria_666

Altar são Cipriano © - Santeria – O caminho dos santos

Santuário sem fins lucrativos. Altar privado de culto religioso, místico, espiritual e esotérico.

Magia Negra, Magia Branca, Feitiços e rituais conforme saberes de São Cipriano.

 

altarCiprianoMagiaNegraMagiaBrancaFeiticariaBruxaria

 

 

 



Panteões de Deuses




alguns Deuses do Panteão Greco-Romano

 



HECATE

Deusa filha dos titãs Perses e Astéria. Acreditava-se que nas noites de lua nova, ela aparecia com sua horrível matilha de ferozes cães fantasmas diante dos viajantes que por ali cruzavam. Ela enviava aos humanos os terrores nocturnos e aparições de fantasmas ou espectros. Também era considerada a deusa da magia e da noite, mas em suas vertentes mais terríveis e obscuras. Era também associada à deusa Perséfone , a rainha dos infernos, lugar onde Hécate vivia.

Dada a relação entre os feitiços e a obscuridade, os magos e bruxas da Antiga Grécia prestavam-lhe oferendas de cordeiros e cães negros no final de cada lua nova. Era representada com três corpos e três cabeças ou um corpo e três cabeças.

Hécate era senhora dos ritos e da magia negra. As três faces passaram a simbolizar seu poder sobre o mundo subterrâneo, onde morava, ajudando à deusa Persefone.

CIRCE

Circe, filha de Hécate, era uma deusa que tinha como característica principal a sua capacidade para a ciência da feitiçaria. Era capaz então de criar filtros e venenos que transformavam homens em animais. Por esse motivo habitava num palácio encantado, cercado por lobos e leões que na verdade era seres humanos enfeitiçados.

ZEUS

Zeus era deus grego supremo e senhor do céu. Zeus era filho mais novo de Cronos e Réia. Zeus foi também conhecido entre os romanos pelo nome de Júpiter. Segundo a mitologia Greco-Romana,, durante muito tempo quem Urano governou a Terra de forma tirânica. Urano foi deposto por Cronos, seu filho. Então Urano, em vingança, profetizou que Cronos também seria destronado por seu próprio filho.Cronos, temendo a maldição, passou a devorar vivos os próprios filhos, logo que estes nasciam. Vários bébés tiveram esse destino ás mãos desse pai receoso e atormentado com a maldição do seu antecessor Urano. Réia, contudo, não conseguiu deixar que todos os seus filhos fossem brutalmente assassinados pelo pai, pois amava os seus filhos. Assim, após dar a luz um menino, Réia enganou o marido, dando um pequeno cavalo a Cronos. Este, ansioso por se proteger da profecia, devorou o animal sem perceber o ardil. Réia levou o filho salvo para um local seguro, dando-lhe o nome de Zeus , que significa, «o tesouro que reluz»

Com Hera, sua esposa, Zeus foi pai de Hefesto, deus do fogo; de Hebe, deusa da juventude, de Ares, deus da guerra ; de Ilítia, deusa dos partos. Antes de desposar Hera, foi pai de Atena, com sua primeira esposa Métis. Entretanto, com a sua irmã Deméter, foi pai de Perséfone.

Apesar de casado com Hera, Zeus tinha inúmeras amantes, denominadas as paixões de Zeus. O maior de todos os deuses usava dos mais diferentes artifícios de sedução, como a metamorfose em qualquer objecto ou criatura viva, sendo alguns dos mais famosos um cisne, ( de Lena), e um touro ,(de Europa.) Assim sendo, teve inúmeros filhos ilegítimos, fosse com deusas, fosse mesmo com muitas mulheres mortais. Os filhos de Zeus com mulheres nortais tornaram-se proeminentes figuras na mitologia grega, nomeadamente Hércules e Helena.

DIONISIO – BACO

Dionísio é filho de Zeus e da princesa Semele, sendo o único deus que é filho de uma mortal.Dionisio é o deus grego equivalente a Baco, no panteão romano, deus das festas, do vinho e do lazer.

Hera, esposa de Zeus, possessa de ciumes devido ás inúmeras traições de Zeus, tomou conhecimento da gravidez de Semele. Hera dirigiu-se-lhe e discutiu com Seleme sobre a paternidade do filho por nascer. Num acto de crueldade e lançando-lhe uma armadilha, Hera desafiou Semele a pedir ao seu amante que viesse ter com ela vestido em todo seu esplendor, tal como anda no Olimpo, . Semele assim pediu que Zeus atendesse a um pedido seu, sem este saber qual seria. Zeus concordou, apenas para se arrepender logo depois. No entanto, não podia voltar com a sua palavra atrás. Zeus então apareceu a Semele vestido com as suas vestes celestiais, e o corpo mortal de Semele não foi capaz de suportar todo aquele esplendor. Semele foi fulminada e o seu corpo transformou-se em cinzas. No entanto Zeus queria salvar o seu filho, e Dioniso passou parte de sua gestação na coxa de seu pai. Quando completou o tempo da gestação, Zeus o entregou-o em segredo a Ino (sua tia) que passou a cuidar da criança com ajuda das híades, Deusa das horas e das ninfas.

Depois de adulto, descobrindo que o filho de Selema e Zeus estava vivo, a fúria vingativa de Hera caiu sobre Dioniso, levando-o á loucura. Assim, meio enlouquecido, meio amnésico, Dionísio vagueou pela terra. Quando passa pela Frígia, a deusa Réia o cura-o da sua loucura e amnésia, e Sileno ensina-lhe a cultura da vinha e o fabrico do vinho.

Curado, ele atravessa a Ásia ensinando a cultura da uva, e assim o povo passou a adora-lo como deus do vinho.

Dioniso puniu quem quis se opor a ele e triunfou sobre seus inimigos, além de se salvar dos perigos que Hera estava sempre colocando no seu caminho.

Eram-lhe consagrados: a pega, o bode a lebre.

Às sua sacerdotizas, chamavam-se e bacantes, nome derivado de «Baco».

É considerado também o deus protector do teatro. Em sua honra faziam-se as festas dionisíacas

HADES

Hades era o Deus que reinava sobre os mortos. Nessa tarefa, o rei do reino dos mortos era ajudado por outras divindades, leia-se: Hécate, as Fúrias, as Parcas, as Harpias, a Morte, o Sono, as Górgonas.

Hades era também o presidente do Tribunal que julgava as almas que lá chegavam, auxiliado por Minos, Eaco e Radamanto. Se as almas fossem condenadas eram atiradas ao Tártaro, se absolvidas eram encaminhadas aos Campos Elíseos ou Ilha dos Bem Aventurados.

Hades era um deus de poucas palavras, e o seu nome inspirava tanto receio que poucos usavam pronuncia-lo. Era descrito como frio, austero, impiedoso e insensível a quaisquer preces ou sacrifícios que lhes fossem oferendados. Com Hades não havia dialogo, nem sequer adoração que o demovesse de cumprir as suas intenções. Hades era distante e intimidava todos que se lhe cruzavam. As invocações Hades acabavem por ser feitas com recurso a cognomes eufemistas , nomeadamente «O Ilustre» ou «O bom conselheiro». Júpiter, Netuno e Plutão partilharam entre si o império do universo. Júpiter era senhora do céu e da terra. Netuno era senhor do reino dos mares e Plutão ( ou Hades), era senhor das profundezas, dos subterrâneos, dos infernos.

Plutão na mitologia Romana estava associado e Hades, e era o Deus das riquezas, pois nas profundidades das terras residem as grandes riquezas. Pois entre os Gregos, este Deus estava também associado aos subsolos pois era Hades quem propiciava o desenvolvimento das sementes e favorecia a produtividade dos campos. Em qualquer casos, era sempre um Deus relacionado com as riquezas e prosperidade, o que era irónico, atendendo a que era igualmente o Deus da morte e da condenação. Por isso, possuía títulos igualmente irónicos. Senão, veja-se que ele era igualmente conhecido como «Hospitaleiro» , pois havia sempre lugar para mais uma alma no seu reino dos mortos, que nunca fechava para férias nem rejeitava «hospedes».

Ao contrários do que comummente se pensa, Hades não é o deus da morte, mas sim da «vida após a morte». Marte é na verdade o Deus relacionado com as guerras e com a morte. Hades raptou Perséfone, filha de Demeter, a quem tomou como esposa

FURIAS

As Erínias dos Gregos ou as Fúrias dos Romanos eram personificações da vingança, semelhantes a Nêmesis. As Furias castigavam os mortais, ao passo que Nemesis punia os deuses.

As fúrias residiam nas profundezas do reino de Hades, onde torturavam as almas pecadoras que eram julgadas por Hades e Perséfone. Nasceram de gotas do sangue, possuíam asas de morcego e cabelo de serpente.

As Fúrias eram deusas cuja a missão era castigar os crimes cometidos pelos humanos, especialmente os crimes de sangue. Quem derramava sangue, era punido e condenado a ser torturado por aquelas que nasceram do sangue, que viviam do sangue, que bebiam o sangue.

Das fúrias, diz-se também que eram filhas de Nyx, a Deusa da noite.

NYX

Nix era uma divinidade feminina que personificava a noite. Em certas tradições, todo universo e todos os Deuses nasceram do Ovo Cósmico de Nyx.

Nix tanto é vista como uma divindade boa e que se manifesta na beleza da noite, como é vista como terrível fonte de maldições, fonte dos terrores nocturnos, Deusa da Morte e rainha do mundo das trevas. Era comummente aceite que Nyx possuía um dom profético, mas mais importante, ela possuía o segredo da imortalidade dos Deuses. Por isso, ela era temida até mesmo pelos Deuses, pois possuía a capacidade de retirar a imortalidade a um Deus e transforma-lo num mero humano.

APOLO Apolo era um Deus relacionado com o culto do Sol , assim como Selene, ( sua irmã), era identificada com o culto da Lua. Apolo é também o deus da cura das doenças, sendo

que se verenada esta divindade com a finalidade de obter a cura de diversas doenças. Dizia-se que Apolo curava pessoas , ou melhor, comunicava com pessoas revelando a cura da doença, através do sono e dos sonhos.

Por esta forma de comunicação altamente poderosa, Apolo foi também considerado o Deus da profecia, sendo-lhe atribuídos inúmeros oráculos, sendo o mais famoso deles e Oráculo de Delfos, o mais importante de toda a antiguidade.

Mas se Apolo era o Deus da cura, era igualmente o Deus da doença, podendo espalhar de forma devastadora todo o tipo de enfermidade e praga pelos humanos. Nesse seu lado obscuro, Apolo é tido como o Deus das pragas, dos ratos e dos lobos.

Apolo estava associado ao loureiro, sendo que se dizia que os sacerdotes do seu culto sacerdotes mastigavam loureiro para dizerem as profecias. As coroas de louro eram muitas vezes oferecidas a alguém que tinha conseguido algo extraordinário, superando-se a si mesmo, o que correspondia ao ideal grego simbolizado por este jovem deus. As coroas de louro continuaram ao longo da historia a simbolizar a vitoria, mas alguns ignoram que advem de Apolo.

AFRODITE

Afrodite era a deusa grega do amor, do sexo, da regeneração e da beleza corporal

Afrodite, também vista como Vénus pelos Romanos e a adorada Astarte dos tempos de Salomão, possuía uma beleza irresistível. Isso causava imensas disputas entre os Deuses, o que irritou Zeus. Por esse motivo, Zeus fê-la casar-se com Hefesto, que a oferendou com as melhores jóias do mundo, inclusive um cinto mágico do mais fino ouro, entrelaçado com filigranas mágicas. Contudo, talvez não fosse o gesto mais inteligente vindo da parte do marido de Vénus, pois quando Afrodite usava esse cinto mágico, ninguém conseguia resistir a seus encantos. Afrodite recusava-se ao seu papel de esposa domestica, e as suas aventuras amorosas forma ardentes e muitas, apesar do casamento ordenado por Zeus.Afrodite teve diversos filhos de diversos Deuses, nomeadamente com Dionísio, Hermes, Ares, etc.

Afrodite amou e foi amada por muitos deuses, mas também por muitos mortais. Dos seus amantes mortais, o mais famoso foi Adônis, que também era apaixonado por Perséfone, que era igualmente sua rival neste trio amoroso.

PERSEFONE

Perséfone é normalmente descrita como uma mulher de cabelos claros, dona de estonteante beleza Por ela muitos homens se apaixonaram, entre eles, Adônis. Foi por causa de Adónis, que Perséfone se tornou rival de Afrodite, pois ambas disputavam o amor do jovem.

Na mitologia grega, Perséfone ou Coré corresponde à deusa romana Proserpina ou Cora. Era filha de Zeus e de Deméter e deusa da agricultura, tendo nascido antes do casamento de seu pai com a deusa Hera.

Quando a sua irresistível beleza se fez ver logo na adolescência, o deus Hades apaixonou-se por ela e pediu-a em casamento. Zeus, o irmão de Hades e pai de Persófone, não auferiu de imediato o pedido e Hades, cheio de paixão e não desejando esperar mais tempo, emergiu da terra e raptou-a levando-a para o seu reino no mundo subterrâneo, desposando-a e fazendo dela sua rainha.

Mas também outro motivo era porque Afrodite tinha inveja de sua beleza. Embora Adônis fosse seu amante, o amor que Perséfone sentia por Hades era bem maior. Os dois tinham uma relação calma e amorosa. As brigas eram raras, com excepção de quando Hades se sentiu atraído por uma ninfa chamada Menthe, e Perséfone, tomada de ciúmes, transformou a ninfa numa planta, destinada a vegetar nas entradas das cavernas, ou, em outra versão, na porta de entrada do reino dos mortos.

Entre muitos rituais atribuídos à entidade espiritual, cita-se que ninguém poderia morrer sem que a rainha do mundo dos mortos lhe cortasse o fio de cabelo que o ligava à vida. Era ela que presidia aos funerias. Era ela também que podia fazer perder objectos, ou ajudar a encontra-los.

Tal era a beleza de Persefone, que Zeus, (seu pai), fez amor com a própria filha, sob a forma de uma serpente.

ADONIS

Adônis, nasceu das relações incestuosas que o rei Cíniras manteve com sua filha Mirra. Era um jovem de grande beleza e por isso, Afrodite, a deusa do amor, da beleza e da sensualidade, apaixonou-se por ele; no entanto, Ares, o deus da guerra e amante de Afrodite, ao saber da traição da deusa , decide atacar Adônis, enviando um javali para matá-o; O jovem morto desceu então ao mundo subterrâneo, onde governava, ao lado de Hades. No entanto, Perséfone, esposa de Hades e rainha do inferno, também se apaixonou por Adónis. Aqui começou uma rivalidade e uma disputa sem igual entre 2 deusas: Afrodite e Perséfone. Ambas as Deusas chegaram a um acordo, segundo o qual Adônis passaria seis meses no inferno com ela e outros seis meses na Terra com Afrodite. No entanto o acordo foi desrespeitado, e novos conflitos surgiram, obrigando Zeus a intervir e a decretar que Adónis seria livre quatro meses do ano, passaria outros quatro com Afrodite e os restantes quatro com Perséfone. Há quem defenda que o nome Adónis esta associado ao nome Adonai, expressão hebraica referente a Deus e que significa «senhor», ou «meu senhor», ou «Soberano Senhor»

ARES – MARTE

Filho de Zeus e de Hera, Ares era o deus grego da guerra. Correspondia ao Deus Romano Marte. Ares era amante de Afrodite, deusa grega do amor e da beleza.

Ades era retratado pelos Gregos como alto e bonito, no entanto igualmente vaidoso e cruel. Ares era muito temperamental, entrava em guerra pelo mais inconsequente motivo e o derramamento de sangue estava-lhe associado.

SELENE

Selene é a deusa grega da lua, era filha de Hipérion e Tea, tendo como irmãos, a deusa Eos , e o deus Hélios.

Selene apaixonou-se por um mortal, um pastor, cujo nome era Endymion. A deusa da lua viveu um grande e ardente amor com este mortal. Desses amor e relacionamento sexual, nasceram cinqüenta filhas. No entanto, Endymion era mortal, e Selene confrontada com essa realidade, perecebeu que mais cedo ou mais arde o seu amado iria envelhecer e morrer. Não conseguindo lidar com esse facto, Selena assegurou que Endymion permanecesse eternamente jovem, mergulhando-o num sono eterno. Assim, o belo humano viveria sempre, dormindo com a mesma aparente idade.

HERA

Hera era irmã e esposa de Zeus. Era ciumenta e agressiva, perseguindo implacavelmente tanto as amantes de Zeus , como os filhos que resultavam de tais relacionamentos. Hércules destruiu os seus sete templos e, antes de terminar sua vida mortal, aprisionou-a em um jarro de barro que entregou a Zeus. Depois disso, ele foi aceite como deus do Olimpo

ALEXANDRE O GRANDE

Alexandre o Grande ficou ma historia do oculto como um dos semi-deuses que habitaram este mundo terreno.

Alexandre o Grande era, legitimamente filho de Filipe II da Macedónia e de Olímpia de Épiro. No entanto , acreditava-se que na verdade Alexandre era filho de Olímpia e Zeus.

Olímpia era uma mística, tanto ardente adoradora do deus Dionísio e dos seus cultos de teor sexual como praticava as mais obscuras e poderosas artes da magia negra. Olímpia era temida, e fez saber desde cedo que o verdadeiro pai do seu filho Alexandre era Zeus, conferindo ao jovem uma condição divina de semi-deus.

Até mesmo Filipe II também temia a sua própria consorte, sendo que certa vez ao entrar nos aposentos da rainha, a encontrou fazendo sexo com uma serpente branca. Filipe II ficou cheio de pavor, pois naqueles tempos era sabido que Zeus podia manifestar-se em varias formas físicas, e uma delas era uma serpente. O monarca começou a interrogar-se sobre a veracidade dos boatos que diziam que Alexandre era filho de Zeus e consultou o Oráculo de Apolo para saber a verdade. A resposta foi que Filipe deveria respeitar o filho, pois grandes conquistas estavam-lhe destinadas e era Zeus que as garantia. Não foi uma resposta directa, mas serviu para que Filipe II entendesse a mensagem.

A relação de Alexandre com a sua mãe era de tal forma intima e poderosa, que se diz que ambos tinham relações sexuais, o que de resto se enquadra nas praticas religiosas bacantes que Olímpia praticava e nas quais educou o seu filho. Aliás, Olímpia não se inibia de praticar as mais fortes magias negras para defender o seu filho e garantir a sua ascensão ao trono, eliminando todos os rivais. As magias negras funcionaram, e Alexandre ascendeu ao trono vencendo todos os seus rivais.

Alexandre, também para esclarecer a duvida sobre a sua origem divina, consultou o Oráculo de Amon, ( Deus Egípcio associado a Zeus), e por esse meio Zeus confirmou a paternidade, garantindo que ele estava destinado a grandes conquistas. Pois a garantia de Zeus cumpriu-se, pois Alexandre o Grande conquistou o maior de todos os impérios, tão vasto e poderosos que nem César, nem Napoleão, conseguiram repetir feito igual. Alexandre o Grande ficou inscrito na historia na humanidade como o maior de todos os conquistadores, e na historia do oculto como um dos semi-deuses que habitaram este mundo.

PAN

Pan também conhecido como Lupercus na mitologia romana, era o deus da pastorícia na mitologia grega. Era representado com orelhas, chifres e pernas de bode e era associado com os bodes e os cães, trazia sempre consigo uma flauta. Tornou-se símbolo do mundo pagão. Acreditava-se que Pan se divertia assustando as pessoas no campo, e que daí resulta etimologicamente a palavra "pânico".Os romanos costumavam invocar o Deus Lupercus para manter os lobos afastados das suas casas e propriedades.

 





alguns Deuses do Panteão Egipcio


 


HATOR

Hathor é uma das deusas mais veneradas do Egito Antigo, a deusa, do amor, das mulheres da alegria, do vinho, da dança, da fertilidade. Ela também era venerada pois trazia a felicidade e era chamada de "dama da embriaguez" e muito celebrada em festas. Ela é representada como uma mulher com chifres na cabeça portando o disco solar, ou como uma mulher com orelhas de vaca;

ISIS

Ísis era a Deusa Egípcia do Amor e da Magia. Era igualmente mãe de Hórus e cunhada de Seth. Ísis ajudou a procurar o corpo de Osíris, que tinha sido despedaçado por seu irmão, Seth. Ísis, era a deusa-mãe do Egipto.

Quando Osíris, o seu irmão e marido, herdou o poder no Egipto, ela trabalhou junto com ele para difundir a civilização.

Porem, Seth, irmão de Osíris, espírito do mal que rasgou as entranhas da própria mãe para nascer e que tinha um odioso sentimento de inveja do seu irmão, palaneou uma terrível cilada. Seth o convidou Osíris para um banquete. Nesse banquete, Osiris assassinou o seu próprio irmão com a ambição de lhe ocupar o trono.

Quando Ísis descobriu o ocorrido, e tudo fez para restituir a vida ao seu marido.

A deusa invocou todos os templos de todas as cidades do país, para que estes se juntassem à sua dor e fizessem a alma de Osíris retornar do Além. Os seus esforços revelavam-se vãos, e Ísis assumiu então a forma de um falcão, cujo esvoaçar restituiu o sopro de vida ao seu amado, ressuscitando-o.

Ísis mateve o seu marido vivo através de magia e fez amor com ele, engravidando.

Ísis assim engravidou concebendo assim Hórus, filho da vida e da morte. Caberia a Horus, filho de Isis, quando chegasse á idade certa, enfrentar Seth, recuperando o trono que era sua legitima herança.

OSIRIS

Era Osíris que julgava as almas dos mortos. Osíris era por isso um Deus relacionado com a vida apos a morte.

Osíris era Marido de Ísis e pai de Hórus, e era também a encarnação das forças da terra e das plantas.

SETH

Seth é a encarnação do mal, é o espírito do mal. Seth rasgou as entrahas da própria mãe para nascer, e era o deus egípcio da violência e da desordem, da traição, do deserto, da guerra, dos animais. Seth era irmão de Osíris, o deus que trouxe a civilização ao homem, e tinha uma incomensurável inveja do seu irmão, que matou para usurpar o seu trono.

Seth esta associado a vários animais, tais comoo cão, o crocodilo, o porco, o burro e o escorpião. Seth possui uma aparência orelhuda e nariguda , algo demoníaca.

BASTET

Bastet era uma deusa da fertilidade, protectora das mulheres grávidas. Era uma deusa solar e era intimamente associada com o gato. Ela era representada como uma mulher com cabeça de gato, ou então simplesmente como um gato.

Nos seus templos de Bastet, foram criados gatos que eram considerados como encarnação da deusa e que eram por essa razão tratados da melhor maneira possível. Quando estes animais morriam eram mumificados, sendo enterrados em locais reservados para eles.

TOTH

Toth, é o deus da sabedoria do oculto, mestre das palavras magicas de grande poder que usadas em orações e encantamentos, invocavam as forças dos Deuses ou dos espiritos. È um Deus sábio e que nas esferas celestes, ocupa o cargo de secretário-arquivista dos deuses. Toth é também um Deus da Lua, que tem a seu cargo a sabedoria, a escrita, a aprendizagem, a magia, o fluir do tempo. Era frequentemente representado como um escriba com cabeça de íbis , a ave que lhe estava consagrada, ou por um babuíno. A sua companheira íntima, Astennu, era por vezes identificada com o próprio Toth . Tinha uma filha:. Seshat. Toth é associado com o conhecimento oculto e esotérico.

SESHAT

Sechat ou Seshat era uma deusa associada à escrita, à astronomia, à arquitectura e à matemática. O seu nome significa "a que escreve". Recebia também os títulos de "Senhora dos Livros" ou "Senhora dos Construtores". Esta Seshat era representada como uma mulher vestida com uma pele de leopardo. Seshat era filha e companheira de Toth, divindade também associada à escrita e ao conhecimento. No entanto, enquanto que Toth representava o conhecimento oculto, Sechat representava o conhecimento visível, que se concretizava. Por assim dizer, Toth era um Deus associado ao conhecimento magico, enquanto que Seshat era associada ao conhecimento cientifico.

ANUBIS

Anúbis, é o deus egípcio dos embalsamadores e do embalsamamento, presidia às mumificações.Anúbis era tambem o mestre dos cemitérios.

Era Anubis que guiava a alma dos mortos no Além, levando-as ao seu julgamento.

Anubis é filho de Néftis, que após uma discussão com o marido Seth fez-se passar por Isis e teve relações com Osíris.

BES

Bés Era o bobo dos deuses, senhor do prazer e da alegria. Bes era representado pela figura de um anão gordo e barbudo, feio ao ponto de se tornar cômico. Ele é muitas vezes representado com a língua de fora e segurando um chocalho. Quando esculpido ou pintado na parede, ele nunca aparece de perfil, mas sempre de frente, o que é único na arte egípcia. Bes é um deus incomum, que não parece ser egípcio, mas a sua origem é desconhecida. No entanto, é visível que ele se assemelha imenso com deuses encontrados na África. Bes era também o protector do parto.

Durante o nascimento, Bes dançava à volta do quarto, abanando o seu chocalho e gritando para assustar demónios que de outro modo poderiam amaldiçoar a criança.

Depois da criança nascer, Bes ficava ao lado do berço entretendo o bebé. Quando a criança ria ou sorria sem motivo aparente, acreditava-se que Bes estava algures no quarto a fazer caretas.

NEFTIS

Néftis é esposa de Seth. È a Deusa dos desertos e da morte.

Neftis é irmã de Osíris, Ísis e Seth,. Após uma grande discussão com o marido, metamorfoseou-se de Ísis e foi ter com Osíris, enganando-o e tendo relações sexuais com ele, que também era seu irmão. Dessa união, nasceu Anúbis, deus dos embalsamadores.

Neftis ajudou Ísis a recolher os pedaços de Osíris quando Seth o destruiu, de forma a que ele pudesse ser ressuscitado, como foi.

AMON

Amon era o rei dos deuses, tal como o era Zeus na mitologia Grego e Júpiter na mitologia Romana. Amon encontrava-se ao deus Rá (ou Ré), que é o Deus do Sol, formando assim o deus Amon-Rá considerado o deus que traz o sol e a vida.

Amon e Amunet, a sua contraparte feminina, são o Deus do ar e do composto primordial que gerou o universo. Amon foi também associado com o «sopro de vida», ou aquele do qual vem o «sopro de vida», aquele que dá vida a todas as coisas. Assim, Amon era o criador, o pai dos Deuses. Amon possuía um lado feminino, chamado Amunet, e de si nasceu todo o cosmo. Amon era representado em forma de um homem de pele escura, com barba.Numa forma híbrida podia surgir como uma homem com cabeça de carneiro.Diz-se que Alexandre O Grande teria consultado o oráculo de Amon, pois este estava associado a Júpiter, tal como o foi a Zeus, e Alexandre era considerado como filho de Júpiter ou de Zeus. Diz-se que ali, Amon ( ou Júpiter, ou Zeus), declarou-o como seu filho e garantiu-lhe grandes conquistas territoriais. E é um facto histórico que se assim foi profetizado, assim aconteceu.

Amon, é na verdade o «Deus» de falavam as várias tribos hebraicas que entretando se formavam e tomavam contacto com as realidades religiosas circundantes. O deus do «sopro de vida», o deus criador do cosmos, o Deus fonte de toda a vida. Os conceitos hebraicos do seu Deus uno, ( mais tarde o Deus dos Judeus e dos Cristãos), foram bebidos em Amon.

HORUS

Hórus era o deus egípcio do céu, filho de Osíris e Ísis. Os seus olhos representavam o sol e a lua, da mesma forma como ele tinha a seu cargo o poder sobre a vida e a morte. O culto solar de Isis , ( deusa mãe), e seu filho, foram na verdade o fundamento para a formação da crença de Maria mãe de deus e de Jesus, aquele que tem poder sobre morte e que veio para vencer o diabo.Horus venceu Seth, o espírito do mal, que foi visto pelos Judeus como Satanás, e tornou-se o rei dos vivos. Horus perdeu um olho lutando contra Seth, sendo esse o famoso olho de Horus. O Olho de Hórus simbolizava poder real e acreditava-se que este símbolo estava associado ao renascimento ou ás ressurreição.

ISHTAR

Ishtar é a deusa da fertelidade dos acádios.

Ishtar foi conhecida como Asterote pelos Filisteus, como Isis pelos Egípcios, como Astarte pelos Sumérios e como Easter nos povos nórdicos da Europa. Esta deusa esta associada ao pleneta Vénus. Os Portões de Ishtar, na Babilónia, são uma das maravilhas do mundo, sendo que presentemente se encontram num Museu de Berlim, havendo uma réplica dos mesmos no Iraque.

O culto a Ishtar envolvia rituais de carácter sexual, uma vez que era a deusa da fertilidade, outros rituais tinham a ver com libações e outras ofertas corporais.

Um importante ritual de Ishtar ocorria no equinócio da primavera, onde os participantes pintavam e decoravam ovos (simbolo da fertilidade) e os escondiam e enterravam em tocas nos campos. Este ritual foi adaptado pela Igreja Católica no principio do 1º milénio depois de cristo, fundindo-a com outra festa popular da altura chamada de Páscoa. Mesmo assim, o ritual da decoração dos ovos de pascoa mantem-se um pouco por todo o mundo nesta festa, na altura do equinocio da primavera.

ANUKET

Anuket era uma deusa egípcia associada á água, que é fonte de vida na terra, assim como á sexualidade, que é também fonte de vida na terra.

Era representada por uma gazela, ou por uma mulher adornada de plumas. Os gregos associaram-na à sua deusa Héstia.

 

 

 

 

Alguns Deuses na religião de Umbanda

OXALÁ

deus de todos os deuses; Oxalá, na Umbanda é representado por uma imagem de Jesus Cristo.

IEMANJÁ

deusa dos mares;

OXUM

deusa dos rios;

UANSÃ

deusa dos ventos e das tempestades;

OGUM

deus da guerra;

XANGÔ

deus da justiça;



alguns Deuses na religião Hinduísta:

SHIVA

deus da criação e da destruição;

VARUNA

deus guardião da ordem cósmica;

VISSHNU

deus da justiça e da disciplina;

LAKSHIMI

deusa da prosperidade e da generosidade;

AGNI

divindade do fogo; ´



alguns Deuses, ( Loas), na ReligiãoVodu

BOM DIEU

O deus principal, na religião Vodu

VODU (ou Zumbi)

Deus que domina noite e protege os seus fieis

. DAMBALLAH

Deus serpente; Deus fonte da virilidade e do poder

ERZULIE

Deusa serpente; deusa do amor, do ciúme e da vingança

GUEDÉ

Deus que preside aos mistérios da morte

BARÃO SAMEDI

Deus que preside aos trabalhos relacionados com feitiçaria maligna

 




 

 


Veja também:

 

[ MAGIA NEGRA, MAGIA BRANCA.]